Danaus

Danaus: A borboleta que inspirou nosso Verão 20.

A imponência da Danaus é notória em todas as etapas de sua metamorfose, e por isso ela guiou e batizou essa família de Verão ’20.

Sobre a Danaus

Danaus

Essa espécie tem grande distribuição pelas Américas, e especula-se uma grande chance de ela colonizar todo o sul de Portugal.
Como é considerada uma das principais polinizadoras, a Danaus habita regiões com uma variedade expressiva de plantas e folhas.
Portanto tem um papel de extrema importância, e auxilia na reprodução de diversas espécies.
Seu ovo é do tamanho de uma cabeça de alfinete, e é colocado na folha de uma planta chamada serralha.
Então é nessa planta que após quatro dias, o ovo se transforma em uma lagarta.

Nesta etapa, ela se alimenta da serralha e de sua seiva branca, considerada muito tóxica para qualquer inseto e animal, menos para ela.
Isto é, após a ingestão da folha seu corpo se torna tóxico, inibindo predadores, o que é um ponto positivo.
Entretanto, sua cor tida como inconfundível, não só é apenas exuberante, como também um alerta.
A tonalidade vibrante tem a função de avisar aos seus predadores que seu gosto não é nada agradável, e caso tentem-na comer, podem ter reações que variam entre náuseas e a morte.
A natureza trabalha de forma tão perfeita, que de uma forma ou outra, os animais acabam entendendo o recado.
Outras espécies de borboleta tentam até imitá-la para enganar suas presas, um instinto de defesa que os estudiosos chamam de mimetismo.

Quando a Danaus se torna borboleta sua dieta muda, e passam a se alimentar de flores e frutas em decomposição.
Por outro lado, elas também passam longos períodos em jejum por conta das migrações.
Quando ainda lagarta, ela apresenta listras rajadas brancas, amarelas e pretas em seu corpo, como se fosse uma zebra.
Grandes asas laranja, emolduradas em preto com pequenas pintas brancas ganham vida quando ela se torna borboleta.

 

Descubra a coleção

DanausOs tons, formas, padrões e cenário onde vivem as Danaus foram estudados e traduzidos nos mais belos acessórios.
Com design predominantemente triangular, os metais dessa coleção assumem o formato das asas da Danaus quando a mesma se encontra sob uma folha.
Já as linhas e desenhos impressos nas peças transferem ares vindos diretamente do Art Noveau, movimento artístico do século XIX.
O Art Noveau tem como características as formas naturais, como as das flores e plantas, bem como o ambiente onde vivem as borboletas dessa espécie.

Quando se trata de textura, essa família apresenta pontos em alto-relevo inspirados nas pintas brancas estampadas nas asas da Danaus.
As miçangas preciosas vindas da Republica Tcheca é outro elemento presente nos acessórios que remetes às pintinhas da borboleta.
O Cristal Oval Lapidado, material expressivo na coleção foi escolhido, pois faz alusão ao seu formato ainda enquanto lagarta.
Os strass aliados à Baguete Swarovski levam luminosidade e arrematam brilhantemente as peças da família Danaus.

Danaus

 

Veja também – Dryas: A beleza poética que inspirou nosso Verão 20.

Post criado 60

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo